Difenrenças no Português do Brasil e de Portugal

O Brasil foi descoberto no ano de 1500 por um navegador português. Durante os três séculos seguintes, Portugal explorou e colonizou o Brasil, ajudando a compor as bases da cultura que até hoje existe no país. Uma das heranças desta época foi a língua portuguesa, estabelecida como oficial no Brasil desde 1758.

No entanto, a presença de povos indígenas no território e o contato estabelecido com os mesmos ajudou a alterar um pouco a forma como a língua era falada no Brasil. Além disto, os escravos que chegavam para trabalhar na colônia aprendiam o idioma apenas oralmente, o que também ajudava a criar ainda mais diferenças com relação à língua original. Para completar, mais tarde, no final do século 19, muitos imigrantes chegaram ao país e modificaram ainda mais a forma de falar do brasileiro.


O resultado desse processo histórico é o de que existem algumas diferenças entre o português que é falado no Brasil e o que é falado em Portugal. As maiores diferenças são na forma como as palavras são pronunciadas, mas também há diferença na grafia de algumas palavras. Por exemplo, em Portugal, ocorre o uso de consoantes mudas e escreve-se “actual” ao invés de “atual”. Até mesmo no uso gramatical há diferenças – no português europeu não se usa o gerúndio. Além disso, algumas palavras têm significados diferentes nos dois países, ou simplesmente inexistem em algum deles.

De qualquer maneira, os moradores das duas nações conseguem comunicar-se com facilidade, passando por cima dessas diferenças. Em textos formais, as variações passam praticamente despercebidas.

Para facilitar a comunicação e aproximar as nações falantes da língua, em 2009 foi assinado um acordo que unifica a ortografia do português em todos os países que falam o idioma. No entanto, ao que tudo indica, algumas diferenças devem permanecer, como o significado de algumas palavras e, principalmente, a pronúncia da língua.